Por que o plano de manutenção preventiva é tão importante?

Em tempos de crise, onde a economia está decaindo e os custo estão sendo cortados, é muito importante que as empresas foquem com prioridade para as manutenções preventivas.

Em tempos de crise, onde a economia está decaindo e os custo estão sendo cortados, é muito importante que as empresas foquem com prioridade para as manutenções preventivas para que alcancem suas metas de redução de custos.

Para um gestor, é necessário conhecer a importância de fazer o plano de manutenção preventiva. Por isso, no post de hoje, vamos  te mostrar a importância do plano de manutenção preventiva.

Antes de tudo precisamos entender o que é manutenção preventiva

É aquela executada antes que os equipamentos apontem falhas, com a finalidade de evitar que eles tenham que ficar parados e, com isso, que a atividade seja interrompida. Para este fim, ela leva em consideração tempo e frequência de uso do equipamento para estabelecer quando vai ser necessário interferir e quais medidas devem ser tomadas.

Mas qual a importância de fazer um plano de manutenção preventiva?

Os pontos principais desse plano são a segurança, a confiabilidade e os custos, já que. A manutenção preventiva é muito mais barata que a corretiva e os equipamentos com manutenção atualizada tem menos chances de dar algum problema. Além disso a empresa terá um aumento de produtividade, tanto para sua equipe externa quanto para o equipamento do seu cliente, que vai permanecer por mais tempo funcionando sem problemas e com a redução dos custos.

Todos esses procedimentos são realizados em intervalos já estipulados, para que não interfiram nas atividades rotineiras da empresa.

Vantagens da manutenção preventiva

Inicialmente, é relevante saber que a despesa da manutenção preventiva é bem menor quando comparado aos procedimentos corretivos. Isso é muito fácil de perceber: o que é mais acessível, conferir e trocar alguns itens de um equipamento enquanto ainda funciona ou procurar o motivo e solucioná-la em caso de quebra?

Além de ser uma prática mais econômica, esse tipo de reparo preventivo impede as falhas inesperadas e, com isso, aumenta a disponibilidade dos equipamentos, evitando ficar parado. Máquinas indisponíveis afetam a produção ou o funcionamento de qualquer empresa, resultando em maiores gastos e redução nos lucros.

Aqui vão alguns pontos positivos da manutenção preventiva, atente-se:

  • Reduzir o envelhecimento ou degeneração dos equipamentos;
  • Melhor estado técnico operacional dos equipamentos;
  • Atuar antes das intervenções corretivas que geram altos custos;
  • Reduzir os riscos de quebras nos equipamentos;
  • Redução drástica nos custos.

Desvantagens

Não pense que são só vantagens neste plano, existem também, embora poucas, as possibilidades desse planejamento de reparos preventivos, como por exemplo:

  • Falta de organização de estoques de peças e componentes (isso porque muitas empresas usam planilhas para controlar o estoque e ainda por cima não alimentam essas planilhas com informações confiáveis);
  • Técnicos de manutenção não segue o planejamento determinado por falta de disciplina e tecnologia no seu processo operacional.

Quando a manutenção preventiva é mais cara do que a corretiva, surge a desvantagem pelo excesso de custo mensal, então será necessário verificar atentamente o que será mais vantajoso para a empresa e assim adequá-lo a este processo.

Checklist de manutenção

O checklist de manutenção preventiva é um formulário essencial para que os técnicos verifiquem a condição de um equipamento ou dispositivo mecânico. O objetivo é criar um método de verificação dos equipamento a cada interferência preventiva. Os checklists mais comuns são os de: mecânica, lubrificação, elétrica e segurança, reajustes, limpezas, aperto de regulagem de componentes, entre outras.

Quanto mais descritivos e ricos em informações chaves, melhor o resultado daquela manutenção. E isso se faz uma regra para qualquer um dos tipos: preventiva, corretiva e preditiva.

Baixo custo

Por essa manutenção já ser programada, é possível prever os gastos que serão gerados com peças e mão-de-obra, evitando qualquer imprevisto.

No orçamento ele precisa considerar todos os gastos que serão indispensáveis para execução do projeto. Um dos principais pontos de custo são os colaboradores. Como foi dito anteriormente, essas pessoas devem estar treinadas e comprometidas para que a operação seja saudável para todos os lados.

Existem alguns indicadores que podem determinar MTBF e MTTR, horas de corretiva; vamos falar de cada um para te ajudar.

  • MTBF (Mean Time Between Failures – Tempo Médio entre Falhas) é uma métrica que diz respeito à média de tempo decorrido entre uma falha e a próxima vez que ela ocorrerá.
  • MTTR (Mean Time To Repair – Tempo Médio para Reparo) é a média de tempo que se leva para executar um reparo após a ocorrência da falha.

Se o MTBF aumentou após uma manutenção preventiva, isso indica uma visível melhoria na qualidade de suas atividades e, provavelmente, que trará maior credibilidade à sua marca e confiança em seus produtos, e também aumentará seu lucro.

Já o MTTR, o esforço deve ser exatamente o inverso, deve-se reduzir ao máximo para evitar a perda de produtividade. Quanto mais ele for reduzido, menos custos com peças, mão de obra dos colaboradores, entre outros.

Além disso, ao conhecer melhor as despesas é possível montar um orçamento mais acertado.

2 Shares:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.