Manutenção detectiva: O que é?

manutenção detectiva

Evitar um problema pela ideia de antecipação é uma ótima maneira de manter seu negócio sempre em funcionamento, certo? Pois bem, a Manutenção Detectiva veio para te auxiliar nisso. Quer saber mais sobre o assunto? Confira o artigo.

Manutenção Detectiva: uma breve definição

A palavra “detectiva” vem de detectar, ou seja, revelar, descobrir. Logo, a manutenção detectiva, nada mais é, do que a identificação de pequenas falhas de funcionamento em máquinas ou, até mesmo, no meio urbano. Mas, como assim?

Antes que um pequeno problema vire uma grande bola de neve e gere confusão, são realizados testes e buscas por essas falhas que não afetam diretamente a empresa, mas que podem prejudicar a produção em série. Isto é, tais danos não colocam a vida dos funcionários e dos operadores em risco, contudo, há o risco de atraso na realização de atividades, uma vez que as imperfeições podem resultar em um baixo desempenho dos equipamentos.

Um exemplo didático é o seguinte: vamos supor que o farol traseiro do seu carro estrague, ele não fará com que o veículo pare de andar, certo? Agora, imagine que você está no trânsito e freie o automóvel. Como os faróis da traseira estão com mau funcionamento, o motorista atrás de você não percebeu que o seu carro freou e, consequentemente, bateu no seu veículo. Viu? Este exemplo serve para mostrar que o farol estragado não teve um efeito negativo imediato, mas teve, como consequência, um problema.

Nesse sentido, a manutenção detectiva vem não só para prevenir futuros transtornos, mas também para entrar em ação e conhecer o sistema de comando ou de proteção. Útil, não é mesmo?

Mas, afinal, como funciona a Manutenção Detectiva?

Como já vimos no decorrer deste texto, a Manutenção Detectiva busca por defeitos e falhas na produção. Para detectar estas imprecisões, erros e imperfeições, o indicado é realizar testes nos equipamentos. E, é justamente neste momento, que devemos recorrer aos Testes para Detecção de Falhas (TDF).

Como o nome já sugere, os Testes de Detecção de Falhas tem como objetivo procurar e descobrir se algo interno, dentro do equipamento, não está funcionando totalmente. Ou seja, se uma determinada máquina não apresentar nenhum defeito grave, mas estiver com um  atraso pequeno de desempenho, a manutenção detectiva já deve ser aplicada sobre ela,a fim de  evitar que o problema fique maior e gere uma pane no sistema da empresa.

Além do mais, existem sistemas projetados para atuar automaticamente, automatizando, portanto, parte dessa manutenção. Sendo assim, a empresa deve instalar equipamentos ou dispositivos que atuem de acordo com vibração, temperatura, corrente, pressão entre outros.

Veja alguns exemplos:

• Controlador lógico programável;

• Teste de detectores de fumaça;

• Teste de dispositivo de segurança;

• Painel de sinalização de alarmes;

• Teste de detectores de gás;

• Computador supervisório;

• Teste queda pressão compressores.

Por meio destes sistemas e de uma análise contínua, será possível aplicar a manutenção detectiva. Lembre-se que o equipamento não precisa falhar totalmente para recorrer ao reparo, é preciso detectar antes do defeito comprometer todo o sistema.

Vantagens e desvantagens

Pois bem, há uma grande vantagem e uma pequena desvantagem que, com um simples planejamento, pode ser solucionada.

A vantagem de aplicar a Manutenção Detectiva no seu negócio é ter menos chances de um equipamento falhar, estatisticamente falando. Se você tem uma garrafa de água e a enche sempre que toma um gole, é quase impossível ela se esvaziar, não é? Pois é, com a maquinaria da sua empresa é quase do mesmo jeito. Contudo, é válido lembrar que imprevistos podem acontecer, mas é justamente para isso que esta manutenção foi criada. 

Dessa maneira, a produção da sua empresa poderá seguir o mesmo ritmo de desempenho.

Outra vantagem é que o papel da manutenção detectiva não se baseia apenas na prevenção, mas também como um dispositivo de segurança. Assim, será responsável por não deixar um pequeno problema gerar um transtorno para a empresa ou, ainda, para os operadores.

A desvantagem, por sua vez, é em relação aos testes. Falamos no tópico acima que, para procurar um problema, nada melhor que testar. Pois então, a questão negativa é que realizar alguns testes resultaria na paralisação de uma máquina ou de um sistema inteiro, por exemplo. Contudo, um planejamento prévio de paradas para realizar as inspeções facilmente resolveria esse problema. Sendo assim, não há muito com o que se preocupar.

Gestão da Manutenção Detectiva

Para gerir a manutenção detectiva, o primeiro passo é realizar um planejamento, mas antes é preciso seguir algumas etapas para uma boa execução do processo. Confira:

1. Defina quais máquinas e/ou equipamentos serão monitorados;

2. Monte uma rotina de inspeção (lembrando das paradas para testes);

3. Segmente as funções dos responsáveis pela inspeção;

4. Elabore um plano de ação para a correção das falhas;

Depois de implementar estes passos, é hora de executar o planejamento. Por fim, não se esqueça de fazer um registro de todas as manutenções.

Demais tipos de manutenção

Antes de concluir este texto, vale ressaltar que para o bom funcionamento operacional das máquinas e equipamentos da empresa, não apenas a manutenção detectiva precisa ser aplicada, existem outros tipos de manutenção que devem ser adotadas, tais como manutenção preventiva, preditiva e corretiva. Entenda a diferença entre elas a seguir.

Manutenção preventiva

A manutenção preventiva, como o próprio nome sugere, baseia-se em tratar o problema antes mesmo que ele apareça. Neste sentido, os técnicos aplicam-na antes que qualquer defeito apareça ou a máquina apresente um funcionamento anormal. Além disso, a técnica pode ser agendada, de acordo com uma escala de uso ou de tempo. 

Manutenção preditiva

A manutenção preditiva, por sua vez, foca na previsão de falhas e defeitos dos equipamentos. Sendo assim, é feita a partir de processamento e uma profunda análise de dados. De maneira resumida, ela funciona da seguinte forma: um sistema inteligente e automatizado monitora os indicadores de operação e recorre às ações corretivas que forem necessárias, a fim de antecipar qualquer problema.

Manutenção corretiva

Essa manutenção é feita após a detecção de falha em algum equipamento. Desta forma, visa reparar a máquina, fazendo com que o equipamento volte a funcionar normalmente. 

Diferentemente das outras manutenções que atuam antes da existência do problema, a manutenção corretiva, assim como o nome sugere, tem como objetivo corrigir o dano, ou seja, trabalha com o transtorno já existente, fazendo as substituição de peças necessárias ou reparos na máquina, para recuperar sua capacidade e desempenho.

Agora que já compreendeu o que é manutenção detectiva, como funciona e quais são seus benefícios, já está convencido de que ela, juntamente com outros tipos de manutenção, são ótimos para seu negócio?

Pois bem, se optou pela implantação da manutenção detectiva, o auvo, software completo para prestadores de serviços, é seu melhor aliado neste momento.

O Auvo é a solução perfeita para tornar o negócio mais produtivo, eficiente e estratégico, além de auxiliar na organização da equipe externa. Por meio do software, é possível:

  • Agendar e planejar atividades;
  • Monitorar equipes em tempo real;
  • Obter relatórios de execução;
  • Fazer a gestão de orçamento.

Para conhecer mais, clique na imagem abaixo e faça o teste gratuitamente!

0 Shares:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.