Fluxograma de processos: guia completo

Fluxograma de processos

Precisa mapear as etapas do seu processo de forma organizada? Veja neste post como um fluxograma de processos auxilia na gestão da qualidade e aumenta a produtividade da sua empresa.

Aqui, você vai saber:

Boa leitura!

O que é fluxograma de processos?

Um fluxograma de processos nada mais é do que uma representação gráfica das etapas de um determinado processo. Ou seja, é uma ferramenta utilizada para organizar fluxos de tarefas.

Normalmente, esse tipo de fluxograma é bastante utilizado em empresas para alinhar as informações de diferentes processos.

Além disso, o ele é elaborado por figuras geométricas para organizar de forma simplificada, as informações sobre as atividades entre outros processos de uma empresa.

Para que serve o fluxograma de processos?

Um fluxograma bem elaborado serve para melhorar a compreensão das etapas dos processos, assim como das atividades e rotina de uma empresa.

Dessa forma, fica bem mais fácil estabelecer a padronização da qualidade, bem como identificar possíveis gargalos que possam ser resolvidos.

Quais são as vantagens de um fluxograma de processos?

Imagine como seria se em uma fábrica com um grande número de funcionários, não houvesse a padronização na produção. 

Provavelmente, cada produto sairia de uma forma diferente, afetando diretamente a qualidade do produto final.

Esse fluxograma pode auxiliar na gestão de qualidade ao passo que reduz excessos no gasto de insumos, e consequentemente, evita prejuízos.

Além disso, com um esse fluxograma fica bem mais fácil identificar o que é preciso para que uma etapa aconteça. Isso te dá mais controle sobre os recursos utilizados em cada processo.

E além de ser uma ótima ferramenta de gestão, esse fluxograma auxilia no aumento da produtividade. E assim, gera mais resultados positivos para a empresa.

O que deve conter em um fluxograma de processos?

Como foi dito anteriormente, um fluxograma de processos é composto por figuras geométricas. Mas, você sabe quais são elas? Então veja só:

Quais são os tipos de fluxograma de processos?

Existem vários modelos de fluxogramas, porém, vamos abordar aqui os principais tipos. São eles:

Leia também  Ordem de serviço: confira o nosso checklist!

Fluxograma de Processos Linear

O fluxograma de processo linear consiste em uma sequência de trabalho com pontos de decisão ao longo do fluxo. 

Por isso, é bastante utilizado para explicar o funcionamento de uma determinada atividade, como a manutenção em um equipamento, por exemplo.

Este tipo de fluxograma pode identificar pontos de melhoria no processo. Por isso, é bastante utilizado para explicar o funcionamento de tarefas.

Fluxograma de processos Funcional

Já o fluxograma de processos funcional consiste em um diagrama que divide o processo entre áreas e departamentos

Em outras palavras, o fluxograma linear é utilizado para mapear uma atividade onde será preciso o apoio de outros colaboradores. Como por exemplo, a venda de um software, que passa pelos SDR, pelos vendedores e por último, pelo setor de implantação.

Por isso, sua função é essencial para englobar diferentes áreas que possuem os mesmos fluxos de entrada e saída. Dessa forma, os colaboradores conseguem interagir mais.

Fluxograma de processo industrial

Antes de falar sobre o fluxograma industrial, é necessário que você saiba o que é fluxograma de processo de produção

De forma resumida, um fluxograma de processo de produção (FPD em inglês), é um fluxograma que mapeia os processos em uma fábrica industrial.

Sendo assim, os símbolos mais comuns no processo industrial são originados de agências como a Organização Internacional de Industrialização (ISO 1628), o Instituto Alemão de Normalização (DIN) e o Instituto Nacional Americano de Padrões (ANSI).

Além disso um PFD específico para o processo de unidade único possui os seguintes elementos:

  • Principais equipamentos: com nomes e números de identificação. Ex: bombas, compressores, misturadores, etc;
  • Tubulação de processo: responsável por mover o equipamento, como fluidos e peças;
  • Direção do fluxo do processo;
  • Válvulas de controle;
  • Válvulas críticas ao processo;
  • Sistemas de derivação e recirculação;
  • Dados operacionais: tais como temperatura, pressão, densidade, taxa de fluxo, massa de equilíbrio e massa de energia;
  • Composição de fluidos;
  • Nomes de fluxos de processos;
  • Conexão com outros sistemas;

Veja o exemplo de um fluxograma de processo industrial:

Fluxograma de processos administrativos

Existe também os fluxogramas administrativos. Este tipo consiste em mapear e otimizar processos. Além disso, é necessário documentar o fluxograma em um papel.

Suponhamos que você queira mapear o fluxo de atendimento em sua empresa de prestação de serviços, por exemplo. Para isso seria preciso mapear deste o atendimento até a emissão de nota fiscal, não é mesmo?

Leia também  Aplicativo de Chamado: deixe seu atendimento eficiente

Ficaria mais ou menos assim:

O cliente entra em contato > O atendente abre uma ordem de serviço > O técnico em manutenção realiza o serviço > O departamento de cobrança emite um boleto bancário > O departamento de cobrança dá baixa na fatura > O departamento de cobrança emite a nota fiscal > O departamento de cobrança envia a nota fiscal para o cliente.

Como criar um fluxograma de processos?

Antes de mais nada, é necessário que você saiba que não existe um modelo padrão de fluxograma de processos. Pois, cada empresa possui regras e procedimentos diferentes.

No entanto, há alguns processos que você pode seguir para montar o seu próprio fluxograma da maneira que melhor se adequa ao seu negócio.

A seguir, preparamos algumas etapas para você criar o seu próprio fluxograma:

1ª Decida qual processo será mapeado

Primeiramente, você precisa definir qual processo você deseja mapear. É bem simples. Basta optar pelo processo que tem mais volume de etapas para sua realização.

Assim, fica bem mais fácil mapear processos com menos volume. Basta replicar o fluxograma que já foi criado, e assim, adaptar para o próximo processo.

2º  Faça um escopo do processo

Para isso, você precisa definir o início e o fim do processo, detalhar quais procedimentos devem ocorrer, assim como quem precisa iniciar e finalizar o processo.

3º  Defina as atividades

Nesta etapa você pode começar a definir quais atividades farão parte desse processo.

Por isso, analise cada etapa cuidadosamente, para então, definir a sequência e organizar da melhor forma possível.

4ª Desenhe os símbolos

Lembra dos símbolos que compõem o fluxograma? Pois então, chegou a hora de desenhá-los. Mas atenção, é preciso desenhar a forma correta para que o fluxograma fique bem claro. 

Além disso, é necessário prestar atenção nessa parte, pois os símbolos do fluxograma de processos são de entendimento internacional. Ou seja, qualquer pessoa, de qualquer lugar poderá interpretá-lo, mas para isso, as figuras precisam estar corretas.

Agora que você já sabe tudo sobre fluxogramas de processos, que tal continuar acompanhando os nossos conteúdos? 

0 Shares:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.