Roteirização: 5 dicas para otimizar a sua

O estabelecimento de uma boa roteirização é fundamental no planejamento de uma equipe que presta serviços externo à empresa, principalmente quando essa está responsável pelo custeio da forma de condução de seus colaboradores.

Ir até o cliente de forma eficiente, com o menor gasto de tempo e maior economia de recursos, é o objetivo que você gestor deseja alcançar quando implementa a roteirização dentro das atividades dos funcionários.

Ter um bom plano de logística requer considerar alguns fatores, como a distância entre pontos e as vias possíveis para chegar até eles, que são aspectos básicos para estabelecer qualquer trajeto. Porém há outras condições do ambiente externo que são necessárias ser destacadas para que você realmente consiga otimizar rotas.

 Não importa qual o seu ramo de atuação, seja ele vendas externas, prestação de serviços de manutenção ou mesmos distribuição e entrega de produtos, se atividade da sua empresa requer  que funcionários se desloquem até o  cliente,   saiba que você pode e deve implantar a roteirização dentro dessas atividades.

Para isso vamos te dar algumas dicas de práticas e ferramentas que podem te auxiliar neste processo. Continue lendo e descubra quais são elas.

O que considerar quando fazer uma Roteirização

Como já mencionado, para criar uma roteirização que traga resultados é necessário pensar nos aspectos que influenciam no tempo de deslocamento e no gasto de recursos, para encontrar formas de reduzir ambos.

Vamos apresentar os principais aspectos que você deve considerar na hora de montar os seus roteiros.

1. Distância

Estabelecer a menor distância entre o ponto de partida do colaborador e seus os pontos das atividades não é nenhuma novidade dentro do processo de roteirização. Contudo existem outros fatores que podem tornar a rota “mais curta” não tão eficiente quanto aparenta ser, os próximos tópicos irão te mostrar isso.

2. Tráfego

O fluxo das ruas que fazem parte da rota são um fator determinante para estabelecer o menor tempo de percurso. A rota escolhida pode até ter a menor quilometragem, mas se as vias utilizadas tem um grande fluxo de automóveis, o seu colaborador pode gastar mais tempo nessa rota do que fazendo um caminho alternativo, que pode ser um pouco mais longo, porém com menor tráfego.

3. Horário

É necessário levar em consideração em que momento o trajeto será realizado. Como visto no exemplo anterior, uma via principal durante o horário de pico da cidade pode gerar engarrafamentos, fazendo com que o colaborador perca tempo no trânsito.

4. Condições das Vias

Como bem sabemos, existem muitas vias que se tornam danificadas com as ações do tempo, principalmente durante o período das chuvas. Não é raro encontrar ruas com buracos, mas é preciso evitá-las para prevenir desgastes desnecessários no automóvel, e assim conseguir uma economia de recursos (como combustível, pneus, pastilhas de freio, etc.) por isso é devemos estar atento ao planejamento de rotas, para desviarmos caminhos danificados ou em obra.

5. Segurança da Rota

É importante sempre levarmos em consideração esse fator durante a roteirização, pois existem vias que podem representar um maior perigo ao colaborador, seja por má sinalização, falta de monitoramento, ou a própria questão da criminalidade (se há algum ponto da rota onde ocorram assaltos com frequência).

Para analisar todos esses fatores é necessário o auxílio de ferramentas, por isso vamos falar a seguir um pouco mais sobre os instrumentos que podem ser implementados para estabelecer uma roteirização, suas características e quais são os pontos positivos e negativos que devem ser considerados.

Descubra qual mecanismo melhor se adequa a sua empresa!

Qual ferramenta devo utilizar para roteirizar?

Hoje existem muitas possibilidades alternativas aos antigos formatos (não só da roteirização, mas como no âmbito geral de fazer gestão). É possível estabelecer novas possibilidades de gestão e/ou aperfeiçoar processos que já são empregados nos seus negócio.

1. Planilhas

A planilhas de Excel são um instrumento clássico dentro dos processos de gestão. Por muito tempo foram a forma mais eficiente de organização de informações. Contudo, na atualidade elas muitas vezes não conseguem suprir todas as necessidades de uma gestão que necessita ser cada vez mais adaptável a mudanças rápidas.

Para uma empresa de pequeno porte, que possui uma equipe externa reduzida, e um grupo de clientes estável que não sofre muita alteração, a planilha ainda pode ser um instrumento de roteirização eficaz, pois as rotas não sofrem grandes alterações, é possível estabelecê-las de forma manual, sem que ocorra grandes erros de planejamento.

A seguir, veja os principais pontos positivos e negativos da planilha:  

2. Aplicativos de Geolocalização (Google Maps)

Utilizar uma ferramenta digital agiliza o seu processo de roteirização, pois ela verifica de forma autônoma um compilado de informações baseadas na georreferenciação, o que traz maior precisão na hora de traçar o caminho mais eficiente a ser percorrido, segundo os fatores que aquele aplicativo consegue considerar.

No caso do Google Maps a distância, o trânsito e as paradas (quando há mais de uma durante o percurso) são os fatores decisão considerados pelo algoritmo do app para gerar o trajeto pretendido.

Considerando que esta é uma solução gratuita, ela apresenta várias facilidades que podem realmente potencializar cotidiano de seus colaboradores. Contudo, também está longe de ser uma ferramenta adequada para o gestor que deseja acompanhar e verificar as atividades de sua equipe, uma vez que não permite o monitoramento da equipe como um todo e não possui a capacidade de gerenciar e monitorar a atividade em si (quando foi realizada, como foi realizada, tempo médio de execução, checkin e checkout).

Confira quais são os pontos negativos e positivos desse tipo de app: 

3.Ferramentas especializadas

Buscar por ferramentas especializadas em gestão, que englobam a atividade de roteirização a outros processos pode ser a solução mais benéfica para um gestor. Afinal, estamos considerando uma solução mais abrangente, que pode funcionar tanto de forma online, quanto offline.

Além de solucionar a questão de rotas eficientes, você também tem a possibilidade de potencializar a gestão com mecanismos de controle mais precisos, automação das atividades burocráticas e organização efetiva das informações passadas entre você e sua equipe de campo.

Veja na tabela a seguir os pontos positivos e negativos desse tipo de ferramenta:

Vantagens de usar instrumentos especializados na roteirização

Existem diversas ferramentas especializadas. Mas talvez o que o seu negócio precise não é necessariamente uma solução para um único processo, como é o caso da roteirização.

Como gestor você sabe que a roteirização é uma parte dentro do processo de gestão, que deve ser considerada, mas que não age isoladamente. Para gerar resultados notórios, é necessário otimizar também outros aspectos da ação de sua equipe externa. É preciso ir além, considerar fatores como:

Por isso estabeleça seus objetivos, pesquise de forma aprofundada o que é necessário para alcançá-los e implemente aquilo que for adequado a sua necessidade/realidade.

Para quem busca maior eficiência com o auxílio de uma ferramenta de gestão pensada para equipes externas, o Auvo é o mais adequado. Para confirmar é só você realizar um teste gratuito!

0 Shares:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.