Como treinar e motivar sua equipe externa?

No artigo de hoje vou te mostrar a importância de se fazer o treinamento de equipe externa.

No artigo de hoje vou te mostrar a importância de se fazer o treinamento de equipe externa.

O que você verá nesse post:

  • Alguns problemas que gestores e equipes enfrentam
  • Duas maneiras de resolver
  • Por que investir em treinamento?
  • Retenção de talentos
  • Motivação do colaborador
  • Redução de gastos
  • Diferencial competitivo para empresa
  • Papel do gestor durante o treinamento de equipe
  • Como estabelecer níveis de avaliação

A deficiência de profissionais capacitados é um problema enfrentado em organizações no mundo inteiro.

Embora a globalização tenha proporcionado a possibilidade de empresas importarem pessoal com ampla experiência e conhecimentos aprofundados em suas áreas, verdadeiros talentos são raros e cada vez mais valorizados no mercado.

Daí, surge a necessidade do treinamento de equipe.

Alguns problemas que gestores e equipes enfrentam

Muitos gestores são receosos em investir no treinamento de equipe por não considerarem que haverá um custo por não capacitar seus funcionários.

Concluindo que é o colaborador que não dá o melhor de si para resolver os problemas cotidianos, é o cliente insatisfeito ou indiferente.

Assim, a gerência fica sem saber o que fazer para melhorar os resultados e gerar mais valor.

Duas maneiras de resolver

Para que uma empresa tenha resultados, ela precisa de equipes de alta performance.

Existem duas maneiras de conseguir isso:

  • Investindo pesado em recrutamento de profissionais que, após contratados, precisarão se ajustar à cultura de trabalho da empresa;
  • Ou capacitando os colaboradores que já fazem parte do quadro de funcionários.

Vamos focar na última opção. O treinamento de equipe da casa garante benefícios em duas frentes.

Em primeiro lugar, os funcionários tendem a ficar satisfeitos ao se sentirem valorizados  – aumentando a produtividade.

Em segundo, o aprendizado obtido nas sessões de treinamento será revertido em benefício da empresa — o que significa metas atingidas e retorno garantido sobre o investimento (ROI).

Por que investir em treinamento?

O treinamento de equipe pode ser transformador, levando equipes e gestores a um outro patamar de atuação por meio da especialização e da experiência.

Por isso, profissionais treinados são capazes de conquistar altos índices de desempenho e de produtividade.

Consequentemente, são responsáveis pela evolução de indicadores importantes como qualidade de atendimento, atendimento aos prazos, satisfação dos clientes, volume de atendimentos.

Por meio da qualificação, é possível formar times mais inovadores, capazes de identificar oportunidades de melhoria e encontrar soluções práticas para problemas do dia a dia — como desvios, atrasos, falhas e ineficiências.

Na verdade, o conhecimento tem o poder de ampliar os horizontes e de promover olhares mais críticos sobre as rotinas de trabalho.

E, assim, surgem novas possibilidades para a otimização de processos e para a redução de custos e desperdícios, como falei ali em cima.

Outro aspecto importante é que colaboradores treinados são mais motivados e comprometidos com a empresa, pois esse tipo de iniciativa evidencia uma gestão que valoriza indivíduos e equipes, reconhecendo suas competências, ambições, expectativas e talentos.

Desta forma, é possível fortalecer o engajamento e a relação de confiança entre o gestor e a equipe.

Retenção de talentos

Quando a empresa se preocupa em desenvolver treinamento de equipe, ela passa a ser vista mais do que como um ambiente de trabalho pelos funcionários, mas também como um local de aprendizagem e desenvolvimento.

Isso é algo valorizado pelos talentos dessa geração, que estão em busca do crescimento profissional constante. Logo, a retenção dos profissionais mais dedicados é uma consequência óbvia.

Motivação do colaborador

Com o treinamento de equipe, o sentimento de lealdade, engajamento e motivação que a capacitação é capaz de gerar nos funcionários é notável.

Quando você deixa de oferecer apenas um salário e benefícios padrões e passa a proporcionar conhecimento à sua equipe.

Consequentemente, impactando também na qualidade de vida dos colaboradores positivamente, despertando sua gratidão e aumentando a conexão entre os times. Isso porque um colaborador motivado tem uma produtividade até 50% maior.

Redução de gastos

Uma vez que sua empresa seja capaz de manter os colaboradores motivados e produtivos, a redução de gastos é algo que acontece naturalmente.

Através da descoberta de novas habilidades e conhecimentos dos funcionários, melhoria da qualidade e novas oportunidades de crescimento.

Além disso, profissionais capacitados sabem utilizar as técnicas corretas para a execução de seu trabalho, reduzindo os gastos com materiais, agora desnecessários e sendo mais produtivos para a empresa.

Diferencial competitivo para a empresa

Como já se sabe, os efeitos do treinamento de equipe se refletem na produtividade da equipe e no seu nível de habilidades e competências.

Isso significa que sua empresa passa a estar protegida da perda de qualidade e, ao mesmo tempo, mantém sua equipe sempre atualizada em relação às novas tecnologias e recursos na sua área de atuação.

Tudo isso deixa a sua empresa um passo à frente das concorrentes no quesito gestão, além de aumentar suas chances de se tornar referência no mercado em longo prazo.

Existem diversas maneiras diferentes de promover a capacitação na sua empresa e trazer os benefícios já mencionados.

Utilizar plataformas online de capacitação, contratar consultores ou coaching organizacional, promover palestras, levá-los a workshops – as opções são inúmeras.

Papel do gestor durante o treinamento de equipe

O gestor deve buscar o próprio aperfeiçoamento para se tornar um líder autêntico e conduzir seus times com mais eficiência e assertividade.

Cumprindo seu papel de orientar, suportar, apoiar e incentivar os colaboradores, para que todos possam atingir um rendimento superior.

O gestor é o principal responsável em determinar quais os resultados finais desejados com as ações de capacitação.

Logo, ele precisa assumir sua responsabilidade na clareza desses resultados, compartilhando-os com seus empregados que participarão das sessões de treinamento.

O treinamento de equipe pode ser:

  • Trabalho em equipe direcionado: ao fazer uma equipe multidisciplinar trabalhar em conjunto, tem-se a chance de desenvolver em seus colaboradores novas capacidades por meio da convivência com outras pessoas.
  • Feedbacks periódicos: ao avaliar periodicamente seu colaborador quanto ao desempenho, atitude, produtividade ou outra grandeza, você estará automaticamente fornecendo a ele ferramentas para que saiba onde precisa melhorar. Lembre-se, no entanto, de fazer a avaliação em intervalos curtos, de forma objetiva e com críticas construtivas.
  • Metas ousadas ou desafios: ao estabelecer uma meta que extrapole os limites usuais de seu colaborador, você o tira da zona de conforto e mostra que ele é capaz de ultrapassar esses limites e realizar algo que acreditava não ser possível.

O gestor precisa se comunicar de forma assertiva sobre o investimento que será feito para cada participante, quais serão os resultados desejados, e como irá avaliar os mesmos após as ações de treinamento.

Como estabelecer níveis de avaliação

Um dos mais con­heci­dos mod­e­los de avali­ação de resultados em treinamento foi cri­ado pelo americano Don­ald Kirkpatrick.

A abordagem de Kirkpatrick propõe que a avaliação da qualidade e da efetividade do treinamento de equipe deve ser enquadrada em quatro níveis – que devem ser considerados na concepção, na execução e na mensuração dos resultados do programa.

Esses quatro níveis são:

Nível 1 – Reação:

O primeiro nível mede a satisfação e a reação dos participantes à proposta do programa e também, o grau de atendimento às expectativas das equipes envolvidas.

Nível 2 – Aprendizado:

O segundo nível mensura o progresso dos participantes quanto ao conteúdo apresentado através de testes. A aprendizagem pode ser confirmada quando os colaboradores ampliam seus conhecimentos ou aperfeiçoam suas habilidades.

Nível 3 – Comportamento:

O terceiro nível mede a taxa de transferência do conteúdo aprendido para o ambiente de trabalho. Esse item avalia a mudança de comportamento produzida pela participação no treinamento.

Nível 4 – Resultados:

O quarto nível mede o impacto do programa de educação empresarial pela relação custo x benefício.  Ele mede qual o benefício gerado em relação ao investimento realizado.

Assim, é fácil perceber que todos os níveis estão conectados e que há uma grande interdependência.

Por isso, Kirkpatrick sugere a criação de uma cadeia de evidências que possam demonstrar os efeitos do programa de treinamento e a sua contribuição para o negócio.

Dados quantitativos e qualitativos devem representar os quatro níveis de avaliação e esse conjunto, têm a finalidade de confirmar a influência positiva da capacitação, na produtividade das equipes e nos principais resultados da empresa.

5.  Nível 5 – ROI – Retorno sobre investimento

O quinto nível, desenvolvido por Jack Phillips, mede o retorno sobre o capital investido nas ações de treinamento, podendo ser feito para cada treinamento ou para toda a programação do período.

Concluindo

O treinamento de equipe é foco das principais estratégias do universo empresarial. Lideranças e times competentes e qualificados são fundamentais para a competitividade de qualquer organização.

É fundamental ter claro o que se espera do processo de um treinamento.

Ficou claro pra você como fazer o treinamento de equipe valer a pena? Ficou com alguma dúvida ou quer sugerir algum tema para que possamos escrever, comente ai! 😉

2 Shares:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.